-
-

Se você está planejando a sua primeira ida ao exterior, este guia definitivo para viagens internacionais irá te ajudar a entender melhor como funciona todo o processo de emissão do passaporte, aplicação de visto, bagagens e imigração. 


Este material foi produzido com a ajuda da Egali, agência de intercâmbio parceira da UPTIME. 


Primeiro passo: tenha um passaporte brasileiro


Se você ainda não tem um passaporte, saiba que emitir o documento é a primeira coisa que deve ser feita antes de planejar sua viagem ao exterior. Aqui, vamos falar do passaporte comum, concedido a todo brasileiro, nato ou naturalizado. 


Alguns dos documentos necessários: 

  • Documento de identidade, obrigatoriamente para maiores de 12 anos. 

  • Título de eleitor e comprovantes de votação da última eleição (dos dois turnos, se houve).

  • Documento que comprove a quitação com o serviço militar obrigatório (para os requerentes do sexo masculino).

  • Comprovante bancário de pagamento da Guia de Recolhimento da União - GRU. 

  • CPF.


Confira a lista completa aqui


Como solicitar o passaporte?

  • Solicite a emissão do passaporte preenchendo o formulário no site da Polícia Federal. 

  • Pague a taxa GRU - Guia de Recolhimento da União - gerada logo após o preenchimento do formulário.

  • Após a compensação do pagamento, agende uma data para comparecer ao posto do DPF. 

  • No dia agendado, vá munido da documentação original exigida, GRU paga e protocolo da solicitação. 

  • Somente você poderá retirar o passaporte e deve levar um documento de identidade e o recibo entregue no dia da confecção.


Qual é o prazo de entrega?


É de seis dias úteis em todo o Brasil. Quando o passaporte chega no posto, um e-mail é enviado ao requerente avisando-o. 


Tem validade?


Sim. Para maiores de 18 anos, a validade do passaporte comum é de até 10 anos, expirado o prazo, deverá ser solicitado outro. 


Segundo passo: providencie o visto, se necessário


Depois de escolher o destino, pesquise se é necessário ter visto para entrar nesse país. O processo pode ser burocrático, por isso, atente-se aos procedimentos básicos.


Em alguns casos, essa autorização é obtida na chegada ao país e, em outros, antes da viagem, no Brasil. 


Os tipos de vistos mais comuns:

  • Turista: geralmente, permite que você fique entre 3 a 6 meses no país, apenas passeando.

  • Estudante: permite que você estude por períodos mais longos ou em maiores cargas horárias. Alguns destinos permitem o trabalho também. 

  • Trabalho: geralmente, são vinculados a empresas que lhe oferecem uma oferta de emprego.


Prazos e documentos

Se o país de destino exigir aplicação de visto antes do embarque:

  • siga atentamente o processo;

  • cumpra os prazos e entregue os documentos exigidos;

  • e acompanhe o processo. Assim, você saberá caso alguma coisa não dê certo e terá tempo hábil para regularizar a situação.


Exames médicos

Alguns países exigem que sejam realizados exames médicos para a concessão do visto. Eles são realizados por médicos credenciados pela embaixada do país no Brasil. 


ATENÇÃO: não são todas as cidades que possuem médicos credenciados, se este for o seu caso, terá que viajar para realizar os exames.


Principais países que exigem exames médicos:

 

  • Visto de estudante na Austrália: exames médicos obrigatórios, solicitados após o envio da documentação para a embaixada.

  • Visto de estudante na Nova Zelândia e Canadá: exames médicos obrigatórios para permanência acima de 6 meses.  


Para quais países o visto é necessário?


A exigência de visto de entrada para alguns países sempre será de acordo com relações políticas entre o Brasil e aquele país. 


Confira a lista com alguns dos países que exigem visto de turista para brasileiros. 


Entre os 30 países que mais recebem brasileiros, os que exigem visto são:

 

  • Estados Unidos

  • China

  • Canadá

  • Angola


Mesmo aqueles países que não requerem visto de entrada, outras regras podem ser impostas, prática muito comum na Europa. Confira algumas delas:

 

  • apresentação da passagem de volta;

  • comprovação da reserva de hotel; 

  • seguro viagem; 

  • um certificado de vacinação;

  • ou a posse de certa quantia mínima de dinheiro.


Por que posso ter o visto negado?


Mesmo com toda a burocracia do processo, não se pode relaxar, pois há sempre a possibilidade do visto ser negado. Alguns países até explicam o porquê da decisão negativa, mas a grande maioria não o faz. 


Para evitar que seu visto seja negado, é importante:
 

Focar nos documentos que demonstram vínculos com o país de origem. 


Como:

  • estudos em andamento;

  • carta de oferta de emprego no retorno da viagem;

  • ou carta de férias;

  • bens no nome do solicitante do visto;

  • família com filhos etc.

 

Terceiro passo: arrumar as malas


Arrumar as malas pode ser um processo doloroso para algumas pessoas. Mas entenda: quando o assunto é viagem ao exterior, você precisa ser objetivo para evitar transtornos. 


Por isso, antes de começar a preparação, saiba que você deve:

  • conhecer alguns aspectos do destino, como o clima;

  • não levar mais do que necessário (no retorno você terá, além do que já levou, as compras que fez durante a viagem);

  • pensar na facilidade de locomoção com a mala (trajetos a pé);

  • saber se está de acordo com as regras para despachar (peso e tamanho). 


Antes, faça um checklist com todos os documentos que você precisa levar. 

  • Passaporte

  • Identidade

  • Passagens

  • Reservas em hotel

  • Matrícula do curso (se for um intercâmbio)

  • Cópia autenticada de todos os seus documentos (não é obrigatório, mas é válido)


O que levar na mala?

  • Roupas: leia sobre como é o clima no seu destino. É importante saber em que estação você vai chegar para que as roupas estejam de acordo. Caso você planeje viajar para destinos diferentes, pesquise sobre como é o clima em cada um deles. 

  • Calçados: um tênis é fundamental. Escolha calçados que sejam confortáveis para que você possa aproveitar bem o passeio.

  • Acessórios: o básico. Artigos de higiene pessoal, livro, fones de ouvido, toalha de banho pequena, câmera fotográfica etc.

  • Remédios: apenas para o período em que estiver fora. Recomendamos levar os remédios de uso comum, como anticoncepcional, remédios para gripe, dor de cabeça, estômago etc.


O que não levar na mala?

  • Muitos itens repetidos: leve apenas a quantidade necessária para o período que for ficar fora. Caso você fique um ano ou mais, leve a quantia suficiente para os primeiros meses até que você encontre por lá.

  • Objetos volumosos: evite coisas que ocupam grande volume, como edredons e cobertores, além de pesados e espaçosos, são muito baratos no exterior. 

  • Objetos perigosos: isqueiros, maçaricos, alicates de unhas, tesouras, armas de fogo, objetos cortantes ou pontiagudos. 


Confira a lista completa dos itens permitidos e dos proibidos na bagagem.


Quantas bagagens despachadas posso levar? Quantos quilos?


Depende do país de destino e da companhia aérea. Geralmente, cada passageiro terá direito a transportar:


2 bagagens, de até 32 kg cada ou 2 bagagens, de até 23 kg cada.


Você deve sempre conferir no site da companhia aérea qual a sua franquia de bagagem. 


Bagagem de mão


Em voos internacionais, consulte a empresa aérea sobre o sistema de bagagem de mão adotado no país de destino, que pode ser de dois tipos: peça ou peso.

  • Por peça: a soma de suas dimensões não pode exceder 115 cm.

  • Por peso: deve ser acomodada no compartimento de bagagem na cabine de passageiros ou sob a poltrona, com peso e dimensões apropriados, conforme descrição da companhia aérea. 


Restrições para o transporte de líquidos


Em voos internacionais, existem restrições para o transporte de líquidos em bagagem de mão: 

 

  • todos os líquidos, inclusive gel, pasta, creme, aerossol e similares, devem ser conduzidos em frascos com capacidade de até 100 ml e colocados em embalagem plástica transparente, vedada, com capacidade máxima de 1 litro, não excedendo as dimensões de 20 x 20 cm.


Saiba mais sobre o assunto aqui. 


É importante você saber que: 

 

  • Os agentes de segurança do aeroporto têm o direito de solicitar a remoção de quaisquer itens da sua bagagem de mão ou registrada. 

  • Free shop: os líquidos adquiridos em free shops ou a bordo de aeronaves podem exceder os limites estipulados, desde que dispostos em embalagens plásticas seladas e com o recibo de compra à mostra (cuja data deve ser a mesma do início do voo). 


Nossa recomendação é: procure um fonte oficial, governamental, de órgãos públicos, como a ANAC e a Receita Federal, ou a sua própria companhia aérea.
 

Quarto passo: prepare-se para a imigração


Passar pela imigração pode dar aquele friozinho na barriga, principalmente se você não é fluente em inglês. Neste momento, você descobre se será liberado ou não para entrar no país de destino. 


O que é a imigração?


Resumidamente, é o processo em que, no aeroporto, os seus documentos e visto são verificados e você informa a um oficial do país os motivos da sua entrada. De acordo com as suas respostas, ele decide se você segue viagem ou volta para casa.


Baseadas nas experiências dos consultores e alunos da Egali, eles elaboraram algumas dicas de imigração.


Quais são as perguntas mais frequentes?

 

  • Por que você escolheu o país?

  • O que vai fazer no país?

  • Aonde vai se hospedar no país?

  • O que você faz no Brasil?

  • O que vai fazer quando voltar ao Brasil?

  • O que o pai/mãe (quem sustenta/quem mora junto no Brasil) faz?

  • Conhece alguém no país de destino?


O que dizer e o que não dizer?


1. A imigração é soberana sempre


O oficial de imigração que faz a entrevista é totalmente soberano da decisão de permitir ou não a entrada de um estrangeiro no país. Mesmo para países nos quais o aluno/visitante já tem um pré-visto, o oficial tem autonomia para inadmitir a pessoa. 


Por esse motivo, você deve responder todas as perguntas sempre, abrir as malas quando solicitado, aguardar se for o caso (tudo com calma e sem reclamar).


2. Nunca caia em contradição
 

Todos os países querem receber estrangeiros para visita ou para estudos, desde que os interesses sejam genuínos. 
 

O que os países mais querem é evitar pessoas que fiquem no país sem condições financeiras ou para propósito diferente daquele que lhe está sendo permitido.
 

A única forma de um oficial avaliar se a pessoa está com intenções verdadeiras é ver se o discurso dela é verdadeiro. Desta forma é importante sempre falar a verdade. 
 

Caso o visitante opte por não falar a verdade sobre algum tema, é importante que saiba que caso caia em alguma contradição, o risco de ter a permissão negada é grande.

Alguns exemplos de contradição:
 

  • Informar para a imigração que está indo estudar, mas não saber o nome da escola ou horário das aulas.

  • Dizer que está indo ficar dois meses, mas ter pílulas anticoncepcionais ou outros remédios “só por garantia” para 12 meses.

  • Dizer que vai a turismo, mas não saber nada da cidade (ou conhecer apenas pontos famosos).


3. Patrocinador da viagem
 

Todos os países que permitem trabalho aos estudantes não consideram que o trabalho será utilizado para sustento do mesmo, mas sim como uma experiência a mais.

 
Desta forma, é fundamental que alguém seja o patrocinador da viagem (pais, tios, avós) no momento de informar como será este sustento. 

 

Pode ser perguntados a renda mensal deste patrocinador e o tipo de trabalho que realiza. Quanto mais renda tiver este patrocinador, melhor.


4. Conheça o país
 

Quanto mais se conhece um país, menor é a chance de ter a entrada negada na imigração
Uma pessoa que sabe pontos que quer conhecer, a cultura do país, como se locomover, etc., mostra que pesquisou muito antes de viajar e tem interesse em diversos aspectos da realidade do país (e não somente em imigrar por um emprego, por exemplo).


5. Ter dinheiro em mãos sempre é importante
 

A única forma “real” do oficial de imigração verificar se a pessoa tem recursos financeiros é vendo o dinheiro. Isto porque informações sobre o patrocinador ou documentos trazidos do país podem ser falsos. 
 

O dinheiro é a única coisa que não tem como falsificar. Em muitas ocasiões não é solicitado que o requerente mostre o dinheiro, mas é importante ter.


6. Visitas anteriores/Visto negado
 

Vistos negados anteriormente por qualquer país não são analisados com bons olhos por oficiais de imigração. Assim como visitas anteriores a algum país ou vistos válidos são um ponto positivo. 
Desta forma, caso tenha passaportes antigos com carimbos, leve junto ao seu novo passaporte.


Não sei falar inglês, e agora?
 

Entenda: a fluência em inglês é muito importante para a experiência da viagem como um todo. Na imigração não é diferente: a conversa iniciará na língua inglesa, na maioria dos países, e se você conseguir se comunicar no idioma tudo será mais fácil.
 

Porém, se você não é fluente:

  • Um intérprete poderá guiar a sua conversa com o oficial.

  • Ou você poderá apresentar uma carta, em inglês, informando o que citamos lá em cima: duração da viagem, hospedagem, dinheiro etc.

 

A nossa recomendação é: 


se você está planejando a sua viagem com antecedência, encaixe no seu cronograma um curso de inglês
 

Mas busque por opções rápidas, atualmente, já é possível aprender a língua em apenas 12 meses, sabia?